0
0
0
s2sdefault
Intercâmbio com agricultores do P1+2 promove troca de vivência em Saboeiro e Jucás

Nos dias 22 e 23/04, o programa Uma Terra e Duas Águas, P1+2, da Asa Brasil e realizado na região pelo Instituto Elo Amigo, esteve levando 35 beneficiários das comunidades da cidade de Jucás (Veneza, São Francisco, Umari dos Teixeiras, Umbuzeiro, Cipó e Baixão), que vão receber suas cisternas de 52 mil litros d’água até a metade do mês de maio, estiveram participando como previsto no projeto, de um intercambio para conhecerem as tecnologias sociais e troca de experiência entre os agricultores com a experiências vivida nas comunidades de Baixa Verde em Saboeiro e Currais em Jucás.

No primeiro dia foram a cidade de Saboeiro vivenciar a propriedade do Seu Pereira, que possui duas cisternas, uma de 1ª água (16 mil litros) e a outra calçadão (52 mil litros), uma barragem subterrânea, uma produção de alimentos no sistema agroflorestal e uma casa de sementes crioula desenvolvida pela Caritas de Iguatu do qual o mesmo participa.

No outro dia em Jucás, conheceram a produção do Seu Dedé e Dona Alderiza, família que esta em destaque no O Candeeiro, ano 8, nº 2121, de fevereiro desse ano, momento que também foi realizada a entrega oficial da edição a familia, na sequencia seguiram para o quintal produtivo que possui uma produção de verduras, frutas de época como melancias e maracujás, produção que representa hoje pouco mais de um terço da renda familiar.

Veja algumas fotos da visita ao Seu Dede e Dona Alderiza

Ambos os momentos, agricultores e agricultoras perguntaram sobre as dificuldades, de como foi feito, qual semente foi usada, como se dá o uso mínimo da água para manter a produção durante o ano inteiro, como se deu a adaptação da família com a nova rotina entre varias outras perguntas e duvidas conversada.

O Intercambio faz parte da formação que as famílias recebem e se somam com o que foi repassada nas capacitações de Gestão de água para produção de alimentos, Gapa, e Sistema simplificado de manejo da água para produção de alimentos, Sisma, que durou no total 24 horas dividido em 3 dias.

Segundo o agricultor do Umbuzeiro, Cícero Brasil, “depois de lutar muito com a falta d’água, me aparece a cisterna e vendo o que pode ser feito só me dá força para continuar. Aqui no Seu Dede os canteiros são suspensos e curioso perguntei por que, ele me respondeu que fazendo isso economiza água e diminui o trabalho com o aparecimento de pragas”, comenta Brasil.


0
0
0
s2sdefault