0
0
0
s2sdefault

Francisco Ednaldo

A agricultura familiar tem dinâmica e características distintas em comparação à agricultura patronal. Nela, a gestão da propriedade é compartilhada pela família e a atividade produtiva agropecuária é a principal fonte geradora de renda. Esse é o caso da propriedade do Francisco Ednaldo Barros Soares, beneficiário do Instituto Elo Amigo, de 51 anos, que há mais de 8 anos tira das suas terras o seu sustento e ainda comercializa produtos orgânicos nas feiras pela cidade de Iguatu.

 Além de belas hortaliças, algumas frutas e mudas diversas, em visita guiada por ele, pudemos observar o ciclo completo até o produto final que será vendido à clientes diretos ou estabelecimentos locais. 

Entenda o processo

Tudo começa com a criação de porcos e uma alimentação balanceada para a suinocultura. Em seguida os dejetos serão utilizados para a produção do biofertilizante (também chamado de adubo orgânico) através da fermentação, e será usado para nutrir o solo, fortalecer e dar fertilidade às plantas. Além disso como reforço, o agricultor ainda tira da criação de tilápias, o fósforo, um elemento importante na natureza e para a plantação.

O carro-chefe da propriedade é o alface, ele reina em vários espaços e tem excelente saída de mercado. Não existe sobra, pois é o mesmo produto usado para alimentar as ovelhas, outra figura importante na plantação. Delas sai o composto orgânico que vai para o preparo da terra.

Ednaldo e sua esposa intercalam o esforço laboral com a necessidade de subsistência. Características típicas da agricultura familiar.

A produção sustentável garante não somente retorno financeiro imediato, na verdade ele nem sempre é certo. O que se vê com frequência entre agricultores é a satisfação pelo trabalho realizado e consumo de alimentos saudáveis."Com certeza, vale a pena, em primeiro lugar porque a gente visa mais a qualidade de vida, a gente hoje consegue produzir a maior parte do que a gente consome aqui, produto limpo, sem a utilização de agroquímicos", ressalta Ednaldo.

O plantio ecológico não uma tarefa fácil. Requer técnica e dedicação. No entanto, contrapondo-se aos recursos tecnológicos e avanços da indústria química, o homem do campo tem cada vez mais driblado as divergentes estações do ano e produzindo muitas vezes no seu quintal, aquilo que vira fonte de renda e negócio para futuras gerações.

O mamoeiro que dá sombra ao tomate e a couve, as mudas do pimentão e alface lado a lado, o pé de acerola, goiaba, manga e cajú, a cana de açúcar que foi o primeiro símbolo de plantação nativa, convivem em harmonia no ambiente como provas de boa prática da agricultura mista. 

Simplicidade e zelo pelo serviço diário são outras características desse tipo de agricultura. O resultado é um conjunto de benefícios aos envolvidos nas plantações e sua clientela.

Por Daniela Lima


0
0
0
s2sdefault