0
0
0
s2sdefault

Em março, o Brasil  comemora o Mês das Águas e durante todo o mês, diversas instituições de diferentes estados comemoram essa data com festejos e palestras. O Instituto Elo Amigo comemorou a data com o Seminário Água Nossa de Cada Dia realizado nas cidades de Cariús, Jucás e Iguatu.

Em  Cariús, o seminário foi realizado dia 18 de março na comunidades Riacho do Meio, em Jucás aconteceu um debate abordando o tema na Radio Sucesso FM e em Iguatu, o Seminário foi realizado  dia 20 de março, no auditório do SEBRAE.

O Seminário Água Nossa de Cada Dia, teve como objetivo ampliar o debate sobre  a crise hídrica, buscando alternativas e estratégias para caminhos de valorização e gestão dos recursos hídricos. Em Iguatu, o Professor Monteiro, SESC Iguatu, apresentou uma Exposição Monitorada à Água, dando ênfase a escassez de agua potável no mundo, sendo 97% salgada e o restante própria para o consumo humano. Também  dialogou a respeito da seca no sul e sobre os 4 anos de seca no semiárido, ele diz: “É pouca água para muito Cearense”. Monteiro indicou como solução prática Projetos coletivos de conscientização em escolas, setores e locais públicos

Professor Monteiro, SESC

 

Logo, Marcos Jacinto, Coordenado Executivo do Instituto Elo Amigo, fez a Abertura oficial do seminário, explicando que o Brasil tem em média 12% da agua potável do mundo.

Na Palestra “Diagnóstico da Realidade Hídrica de Iguatu”, Mauro, SAAE, expos uma expectativa pessimista para o ano de 2016 com a continuação da seca na região, mas, que não há grandes riscos e que temos a necessidade de uma nova adutora no Açude Trussu. O açude está atualmente com 43,84% de nível de água, tendo uma queda de 0,1% a cada mês e que os açudes estratégicos estão em nível critico. Também falou sobre a grande quantidade de ferro na água e a dificuldade de purificação dela.

Mauro, SAAE

Na plenária, foi levantado o questionamento sobre o problema lucro versus sustentabilidade, sendo os carros pipas uma barreira para a autonomia das famílias agrícolas e a adesão das cisternas do Programa Uma Terra e Duas Águas (P1 + 2) a facilitação da vida do homem e da mulher do campo que antes dependiam exclusivamente dos carros.

Em seguida, na palestra Tecnologias Sociais de Gestão Hídrica: A Busca por Sustentabilidade no Semiárido Cearense, o Professor M.e Kelvio Felipe dos Santos mostrou seu trabalho de pesquisa em torno das famílias atendidas pelo programa P1 + 2 e pelo Programa um Milhão de Cisternas (P1MC) e as não atendidas. O  P1 + 2 e o  P1 MC integram o Programa de Formação e Mobilização Social para a Convivência com o Semiárido da ASA (Articulação do Semiárido Brasileiro), que  tem como objetivo promover a segurança alimentar e nutricional e a geração de emprego e renda entre famílias agrícolas. Kelvio demonstrou pelo seu estudo a diferenças entre os beneficiários e não beneficiários dos programas, tendo os primeiros uma melhor qualidade de vida. Afirmou que a educação é a melhor alternativa para o desenvolvimento sustentável.

Professor M.e Kelvio Felipe dos Santos

Encerrando foram mostrados caminhos para o bom uso dos recursos hídricos, como o uso racional da água e adesão de uma agricultura sustentável.

  

  

 

0
0
0
s2sdefault